Menu

Nota sobre a ocorrência envolvendo a jornalista Sheila Souza

A Associação dos Oficiais da PMDF (ASOF) vem manifestar seu apoio aos policiais militares que conduziram a ocorrência envolvendo a jornalista Sheila Rodrigues de Souza, na última quinta-feira dia 21.

Durante abordagem onde a jornalista fora submetida ao teste de alcoolemia (bafômetro), constatou-se a ingestão de bebida alcóolica e, como agravante, não portava os documentos obrigatórios para condução de seu veículo. A situação que poderia ser resolvida de forma pacífica acabou se agravando e culminando com a condução da cidadã  à 5ª Delegacia de Polícia.

Indignada com o tratamento recebido, a jornalista utilizou suas redes sociais para expor e acusar os policiais militares de agressão. Como se tratava de uma profissional de imprensa seu relato ganhou as páginas de diversos sites, blogs e jornais de grande circulação, levando a exposição dos policiais militares que atuaram na autuação de trânsito e na condução à delegacia da jornalista Sheila Sousa, na última quinta-feira.

Utilizando-se de seu prestígio e influência profissional, o relato da jornalista foi utilizado como fonte que, não verificada, impediu o conhecimento dos fatos verídicos que envolveram essa ocorrência. Os policiais militares sequer puderam  apresentar suas versões dos fatos, contrariando os fundamentos do direito de resposta, que é o princípio mais rigoroso do jornalismo. Sendo imprescindível ouvir o outro lado da história, para o exercício de uma cobertura jornalística imparcial.

Além disso, o Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal emitiu uma nota, mesmo sem a devida apuração dos fatos, repudiando a truculência da polícia militar. (http://www.sjpdf.org.br/noticias-teste/52-em-destaque/3441-sjpdf-repudia-truculencia-da-pmdf-contra-jornalista ). Cabe lembrar que a senhora Sheila Rodrigues, no momento da abordagem, não se encontrava no exercício do jornalismo, o que torna o posicionamento do sindicato um ato de corporativismo provinciano. Não levando em conta a honra dos policiais ou a importância da função dos jornalistas no estado democrático de direito.

Ao insinuar que as forças de segurança do Distrito Federal atuam “como um regime de exceção, usando da violência e do autoritarismo contra os cidadãos” o sindicato exacerba suas funções e ataca, injustificadamente, todos os servidores da segurança pública que diariamente arriscam suas vidas para defender a comunidade de Brasília.

A ASOF entende que tanto os policiais militares envolvidos no caso como a corporação foram alvos de um ataque injusto, precipitado e covarde daqueles que, usando o poder de alcançar um grande público, distorceu os fatos buscando criminalizar a ação dos policiais, denegrir a instituição e se eximir da responsabilidade de respeitar as leis, as normas da boa educação e autoridade de agentes públicos no exercício do dever.

Dessa forma, a assessoria jurídica da associação está à disposição dos policiais para prestar o apoio necessário. Não apenas na esfera criminal mas, comprovada a legalidade das ações, para a devida de reparação civil, pelos danos morais e materiais que tenham sido ocasionados pela exposição indevida dos nossos policiais.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Sala de Imprensa