Menu

Cada Polícia tem a sua função

 O fato de o programa Fantástico do último domingo (25/05) ter veiculado matéria em que aparece um policial civil "fardado", nos faz perguntar, como um órgão voltado para segurança pública, que tem por princípio o respeito ao ordenamento jurídico do pais, pode se dar ao luxo de se fazer representar por aquilo que não é? Tanto de fato, como de direito, o militar está caracterizado por sua farda, e isso, consequentemente, proporciona mais ostensividade a presença do policial militar.

 Conforme a constituição, em seu art. 144, no parágrafo § 5º, "às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil", na letra clara de nossa carta magna, vemos a quem cabe estar fardado, ostensivo, prestando a manutenção da convivência pacífica das pessoas, enquanto estiverem cumprindo a lei. Por outro lado, a Constituição também destaca o papel do profissional que apareceu na tela de TV, de um programa tido como contador da verdade brasileira. No mesmo art. 144, no § 4º "às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares", ou seja a investigação. Será que para investigar é necessário estar fardado ou em viatura ostensiva?

 Mais de 80% das ocorrências são resolvidas pela Polícia Militar, pois são de baixo potencial ofensivo, ou seja: previstos na lei 9099/95. O restante, é trabalho da Polícia Civil. E quais são os índices de solução dos crimes que necessitam investigação? Será que a Polícia Civil está com 100% de solução dos crimes investigados, para estar utilizando profissionais no policiamento ostensivo? Será que o cidadão merece que seu imposto seja gasto desta forma? Será que devemos atuar baseado em nossa vaidade pessoal? Ou devemos buscar o respeito ao dinheiro público e atuar conforme prevê a lei, dando o exemplo necessário para termos uma sociedade baseada naquilo que está escrito que podemos ou não fazer? 

Como Policiais Militares, de uma certa forma, até nos sentimos envaidecidos ao ver um delegado de Polícia Civil ostentar, com orgulho, paramentos e fardas: símbolos da Polícia Militar, em um momento em que muitos questionam qual seria o melhor modelo de segurança pública. Porém, é preciso deixar claro que sem a ostensividade e o respeito ao papel constitucional da Polícia Militar, não é possível alcançar o inconsciente coletivo e realizar um trabalho que, de fato, seja perceptível para a nossa sociedade.

Por fim, rogamos, pedimos e imploramos: vamos dar segurança pública à população da qual fazemos parte. Trata-se do investimento do dinheiro proveniente de impostos. Cidadão, fiscalize essas arbitrariedades cometidas por funcionários públicos. Policial civil fardado está errado. Ele deve realizar investigações, não se vestir de preto com emblemas e insígnias próprias dos militares. O seu papel é outro.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Sala de Imprensa