Menu

Fim do Bope ou dos Black Blocs

É de se lamentar que nos dias contemporâneos grupos políticos utilizem-se de mentiras para induzir e arrebanhar as “ovelhas úteis”. Lamentavelmente, propaganda de um partido de esquerda divulga imagens e informações degradantes e nocivas contra as corporações policiais militares. As informações são tão irreais, que até parece que foram articuladas por quem quer realmente desestabilizar a ordem pública e não tem o objetivo de construir um país melhor, princípio basilar de qualquer agremiação política.

jornal pstu agredindo pms do Brasil

Atribuir às corporações policiais a conotação de racistas é demasiado contraditório. A maioria incontestável dos policiais são provenientes de camadas sociais simples que vivem em bairros tipicamente humildes onde estudaram e foram educados em escolas públicas padrões do sistema de ensino brasileiro, como a maioria da população brasileira. São policiais de todas as cores e de todos os credos. Acusar os quase 500 mil policiais brasileiros de racistas é de uma tamanha estupidez e desconhecimento que somente se pode atribuir a uma visão covarde e ultrapassada de criar “mitos mentirosos” para habitar as mentes de pessoas fragilizadas.

“Fim das UPPs, do Choque e do Bope; Legalização das drogas para combater o tráfico e a violência policial; força policial controlada pelos trabalhadores e o povo pobre” Que tipo de agenda política é essa? Talvez não saibam que mesmo países europeus com os melhores indicadores de vida têm polícia de choque, grupos policiais especiais para lidar com os naturais atritos da vida coletiva. A vida em sociedade é isso: pressupõe direitos e deveres e estabelece, por sua vez, instituições que regulam a convivência e a aplicação da lei. Além disso, que correlação guarda, por exemplo, a legalização das drogas? Absurdos sem qualquer tipo de lógica!!! Aliás, exatamente sobre consumo e tráfico de drogas, dentro de uma visão do ensinamento básico da Economia, se pode inferir que uma maior procura leva a uma maior oferta. Desde a implantação da a Lei 11.343/2006 os problemas sociais e de violência vem crescendo e não resta dúvida alguma de que há relação direta com a dependência causada pelo consumo de drogas. A dependência, por sua vez, leva a uma série de outros problemas, mas um deles é a questão do tratamento e reabilitação de dependentes. Num país com tão grandes carências no sistema público de saúde, onde crianças ainda sofrem por doenças já erradicadas, gastar voluptuosas verbas para tratar algo que se pode evitar é no mínimo irracional.

População pobre oprimida pela polícia

A velha tática de ocupar a superestrutura ideológica tem dado certo no Brasil. Os meios de comunicação moderno facilitam a capilarização e, acima de tudo, o anonimato de inescrupulosos manipuladores ideológicos que seguem a tão conhecida cartilha marxista. Associam à implementação de um sistema político e econômico, que já demostrou ser ineficiente. Seria um ótimo desafio a esses manipuladores apontarem exemplos de sucesso dos pleitos de suas agendas; talvez pudessem citar um certo país asiático onde o “proletariado” trabalha em regime de escravidão e onde a repressão às liberdades atinge proporções jamais imaginadas na história moderna da humanidade.

As “verdades convenientes” são artifícios cruéis e que levaram às maiores atrocidades da história da humanidade. O socialismo alemão, sob astúcia criativa de Joseph Goebbels, foi o mais monstruosos visto e tudo se com exatamente com um discurso contra as instituições públicas essenciais e já consolidadas para substituí-las por grupos extremistas e obcecados. Não se pode negar que toda e qualquer instituição pública, seja no Brasil e ou mundo, está sujeita aos desvios de condutas de seus integrantes.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Sala de Imprensa